segunda-feira, 3 de julho de 2017

A ALEGORIA DA CAVERNA, O EVANGELHO, E O ATEU

O  mito da caverna de Platão está em seu livro a República, um dos mais conhecidos do filósofo grego.
O mito faz uma linda analogia entre o mundo das ideias com o mundo real, onde vivemos. No mundo das ideias tudo é perfeito, maravilhoso, e lindo, como a ideia cavalo, que nesse mundo é perfeito, e o que vemos na terra é só de imperfeições, que nem se comparam com a perfeição do mundo das ideias.
Ele então continua a fazer essa belíssima analogia, de algumas pessoas presas dentro dessa caverna, no topo da qual tem um muro à meia altura, e, por trás desse muro passam pessoas com vários objetos nas mãos, e esses objetos aparecem através de suas sombras que se projetam na parede da caverna. Essas pessoas, é bom frisar, estão de costas para a entrada da caverna, acorrentadas.
Então, um deles consegue se libertar. Com ímpeto, se dirige para a saída,estupefato diante da luz que ofusca seus olhos, mas, aos poucos, vão se acostumando, e ele começa a enxergar as maravilhas do mundo colorido, e as pessoas. Agora ele vê tudo realmente como elas são, e não meras sombras.De repente, ele se lembra de seus amigos, ainda presos, e observando as sombras, que são representações imperfeitas daquilo que existe no mundo das ideias. Ele volta, diz a elas, mas elas não acreditam, pois acham um absurdo isso, e terminam por maltratar e matar ele.
Na analogia de Platão, o filósofo é aquele que se liberta através da luz do sol (conhecimento) e procura levar outros a esse conhecimento, mas, muitas vezes, ele é mau compreendido, e terminam por matá-lo, como fizeram a Sócrates, seu mestre.
Mas esse filósofo de Platão pode ser os pregadores e missionários evangélicos, que levam todo os dias a luz do conhecimento, pela Bíblia e boas novas dele, que levam o entendimento para aqueles que precisam, que aceitam de bom grado, muitos deles, mas nem sempre eles são compreendidos, muitos deles são mortos, pois sua mensagem é maravilhosa demais para ser aceita por eles.
Eles falam das grandezas do mundo perfeito, do Céu, de Cristo, o mundo inexplicável e sem comparação que é ele, mas não dão crédito a isso, preferem maltratar e matar os missionários que levam essa mensagem.
O mundo das ideias é perfeito, como é perfeita a Palavra de Deus, como Deus é perfeito, como a mensagem que Deus mandou o missionário-filósofo entregar. De tão maravilhosa que é, muitos não acreditam nela, e, por causa da natureZa do mundo imperfeito e das ideias imperfeitas que eles têm, rejeitam a mensagem, e preferem viver na caverna do pecado e da ignorância sem fim, quando têm um conhecimento sem limites para usufruir, o do sol da justiça, Cristo.

por Leo Mouras